Aposentadoria do servidor público federal

TV SindMédico esclarece dúvidas dos servidores federais, que têm até 29 de julho para fazer opção por mudança de regime previdenciário. O que vale a pena?

Servidores que ingressaram no serviço público federal antes de 4 de fevereiro de 2013 têm até o dia 29 de julho para migrar do Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) para o Regime de Previdência Complementar (RPC), administrado pela Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo (Funpresp). Mas vale a pena fazer essa opção?

A advogada especializada em Direito Previdenciário Thaís Riedel vai falar sobre esse assunto na edição da TV SindMédico da terça-feira (12), às 20h. A mudança de regime é uma opção irrevogável e irretratável. Então, a decisão tem que ser bem pensada.

As alíquotas de contribuição do Funpresp variam de 8,5%, 8% ou 7,5% sobre o salário de participação, que é a diferença entre a o teto do INSS (R$ 5.645,80) e a remuneração recebida pelo servidor. Até 29 de julho, o servidor pode entrar como participante ativo normal do Funpresp, com direito à contrapartida da União. Quem preferir se manter no regime antigo também pode aderir, mas como participante ativo alternativo, sem a contrapartida da União.

Essas informações são suficientes para uma tomada de decisão tão importante? Com certeza não. Então, não perca a TV SindMédico e tire suas dúvidas em tempo real, enviando perguntas na página do SindMédico no Facebook. Aproveite para curtir a página.

Atenção! essa opção pela previdência complementar é restrita aos servidores da área federal e não engloba os servidores públicos do governo do Distrito Federal.

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS