Debate sobre Telemedicina será ampliado

No dia 20 de fevereiro, SindMédico, AMBr e AMEB se reunirão para debater o tema. Sugestões de alteração na Resolução 2.227/2018 do CFM devem enviadas antecipadamente 

Não há questionamentos sobre a importância da tecnologia no exercício da Medicina. Disso todos sabem. No entanto, ao aprovar a Resolução 2.227/2018, que autoriza consultas e procedimentos via Telemedicina, o Conselho Federal de Medicina (CFM) foi “muito à frente disso”. A avaliação é do deputado federal e presidente da Frente Parlamentar de Medicina (FPMed), Hiran Gonçalves. Presente no II Fórum de Telemedicina, que ocorreu nesta quinta-feira (7), no CFM, ele ressaltou que é preciso debater o assunto com muito cuidado e atenção. “Esse é um tema inquestionável, que vivemos e vamos viver no nosso dia a dia. Então, temos que salvaguardar os nossos interesses”, disse.

O presidente do SindMédico-DF, Dr. Gutemberg, e o vice, Carlos Fernando, também participaram do Fórum e concordam que, neste momento, é preciso avaliar com precisão cada artigo da Resolução. Isso porque, segundo eles, “o texto não foi ampliado e debatido com as entidades representantes da categoria médica, o que é um erro diante da relevância do tema para o futuro da Medicina”. O encontro ocorreu das 10h às 14h e contou com a presença de diversos representantes de conselhos regionais, sindicatos e associações médicas.

“Não à toa, o auditório do CFM ficou lotado. Ainda há muitas questões a serem compreendidas, discutidas e sugestões que devem ser levadas em consideração para levar o assunto adiante”, completou Dr. Gutemberg. Vale lembrar que, nesta quarta-feira (6), o CFM publicou nota com esclarecimentos sobre o aperfeiçoamento da Resolução 2.227/2018. Nela, apontou a instituição, há, ainda, “um prazo de 60 dias para que o CFM receba dos conselhos regionais, entidades médicas e da categoria propostas para o aperfeiçoamento da norma”.

União para construção de propostas

O Fórum que ocorreu nesta quinta-feira deveria ser o início deste debate. Contudo, a relação médico-paciente e os honorários via Telemedicina foram questões pouco destrinchadas no encontro.  “Uma Resolução desta amplitude, que implicará diretamente na relação com nossos pacientes e em nossas remunerações, não pode ser tratada de outra forma que não seja minuciosa. Digo isso porque, certamente, a Telemedicina vai favorecer as operadoras, que já começam a comemorar a possibilidade de consultas online, inclusive, para especialidades de maior complexidade, o que é um absurdo”, afirma Dr. Gutemberg.

Agora, tanto o presidente do SindMédico-DF quanto o vice, Carlos Fernando, pretendem avançar na discussão do tema com os médicos do Distrito Federal. A ideia, salientam, “é levar ao CFM propostas que aparem as arestas da Resolução 2.227/2018". Um outro Fórum, inclusive, já foi marcado para o dia 20 de fevereiro, no auditório da AMBr, às 20h: irão participar dela o SindMédico-DF, a AMBr e a Academia de Medicina. As inscrições devem ser feitas pelo site do CRM-DF. 

O que: Fórum de Discussão sobre a Resolução 2.227/2018 do CFM (Telemedicina)

Quando: Dia 20 de fevereiro, quarta-feira

Onde: Na AMBr, no St. de Clubes Esportivos Sul

Horário: 20h 

Médicos, participem! As sugestões de alterações na Resolução devem ser enviadas antecipadamente. Link: https://sistemas.cfm.org.br/faleconosco/df 

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS