I Seminário SindMédico: Burnout é tema de palestra

Doutora em Psicologia, Lilian Graziano ministrará palestra na próxima quinta-feira (30/5), a partir das 20h, na sede do sindicato

Estudos recentes apontam que profissões mais estressantes são as mais susceptíveis à Síndrome de Burnout (SB): doença ligada ao esgotamento no trabalho. Nesse contexto, os profissionais da saúde, especialmente médicos, são as principais vítimas do Burnout. Mundialmente, sabe-se que a doença está presente em um a cada dois médicos. No Brasil, de acordo com o Conselho Federal de Medicina (CFM), 23,1% dos médicos apresentam a SB em alto grau - em um universo de 7,7 mil profissionais de vários estados. E é sobre esse tema que a psicóloga e doutora em Psicologia Lilian Graziano falará, na próxima quinta-feira (30/5), a partir das 20h, no I Seminário SindMédico.
Com o tema “O médico e o Burnout: uma nova abordagem a um velho problema”, Lilian Graziano trará aos espectadores uma maneira diferente de lidar com a doença. “Felizmente, a partir do surgimento de um movimento científico chamado Psicologia Positiva, esse panorama tem se modificado e, hoje, temos muito a fazer no sentido de nos tornarmos mais resilientes em relação ao Burnout, e a tantas outras doenças, muito antes que elas se instalem. Hoje, finalmente, podemos falar em uma Psicologia Preventiva”, aponta a psicóloga, que possui ainda pós-graduação em Psicoterapia Cognitiva Construtivista e especialização lato sensu na área de gestão empresarial, com especialização em Virtudes e Forças Pessoais pelo VIA Institute on Character, dos EUA.
Atualmente, Lilian Graziano é diretora do Instituto de Psicologia Positiva e Comportamento, onde trabalha com consultoria na área de comportamento e desenvolvimento humano para empresas. Algumas delas são o Bradesco, a ABMN, a Natura e o Hospital Samaritano. Em entrevista ao SindMédico-DF, a psicóloga adiantou que “nem sempre o médico se dá conta das consequências que o Burnout e/ou o stress podem acarretar”. Por isso, aponta, “podemos dizer que o Burnout no meio médico possui uma urgência que se justifica justamente pela natureza do trabalho, que é o cuidado com outras pessoas. Nesse âmbito, um erro pode, em última instância, ser fatal”.
Hoje, Lilian Graziano atua como consultora da Control Risks Group, fazendo acompanhamento psicológico em casos de sequestro de executivos de importantes empresas multinacionais. A psicóloga é também professora universitária, dedicando-se ao ensino da Psicologia e Gestão de Pessoas em diversas instituições de ensino da cidade de São Paulo. É docente em programas de pós-graduação, MBAs e cursos in company da Fundação Dom Cabral (FDC), da Business School São Paulo (BSP), da Trevisan Escola de Negócios e da HSM Educação.
Leia, abaixo, a entrevista do SindMédico-DF com Lilian Graziano. E não esqueça: no dia 30, próxima quinta-feira, ela estará no sindicato falando sobre a Síndrome de Burnout. Participe!

Qual a relevância do tema para os médicos?

Acredito que a Síndrome de Burnout é um assunto de grande relevância para qualquer profissional. Isso porque, contrário do que ocorria nos anos 70, quando tal síndrome foi inicialmente descrita, sabemos que ela acomete não apenas os profissionais que cuidam de outras pessoas, mas, sim, todo e qualquer profissional. Por outro lado, podemos dizer que o Burnout no meio médico possui uma urgência que se justifica justamente pela natureza do trabalho médico, que é o cuidado com outras pessoas. Nesse âmbito, um erro pode, em última instância, ser fatal.

Como ocorre esse acúmulo de estresse devido ao trabalho?

Costumamos dizer que uma das principais causas do Burnout é justamente o excesso de trabalho. Mas, as coisas não são tão simples assim. Pressões no trabalho, bem como a sensação de controle (ou não) que se tem sobre as variáveis ligadas a ele também são importantes. No caso do médico, o simples acúmulo de estresse, ainda que não se configure no que chamamos de Burnout, pode impactar negativamente a sua relação com o paciente, ainda que ele próprio, o médico, não o perceba.

No que esse estresse pode acarretar? 

No começo deste ano a Medscape publicou uma pesquisa sobre Burnout Médico no Brasil na qual, dentre outras coisas, identificou que quando se sentem deprimidos (algo bastante associado ao Burnout), 34% dos médicos se sentem menos motivados a serem diligentes em suas anotações sobre o paciente, 33% se dizem menos engajados e atentos com seus pacientes e 29% se dizem menos amigáveis com seus pacientes (pergunta na qual era possível assinalar mais de uma opção). Não obstante esses três aspectos mencionados, 30% da amostra assinalou, nessa mesma pergunta, o item “minha depressão não interfere na minha relação com o meu paciente”. Isso significa que nem sempre o médico se dá conta das consequências que o Burnout e/ou o estresse podem acarretar. De qualquer forma, é importante que se diga que ambos costumam levar a um comprometimento das chamadas funções cognitivas, como atenção, pensamento e memória. Pode haver ainda uma necessidade de isolamento, desesperança em relação ao futuro, exaustão emocional e a redução do sentimento de realização pessoal e profissional.

Como os médicos podem evitar esse problema? Existe alguma maneira? 

Essa, talvez, seja a pergunta mais importante. Estamos acostumados a pensar muito mais em termos de doenças do que de saúde. A Psicologia, por exemplo, fez muito pouco no sentido de investigar o lado funcional do ser humano e, com isso, não foi capaz de dizer o que podemos fazer no sentido de fortalecermos nossas estruturas internas enquanto indivíduos. É como se fôssemos condenados a esperarmos a doença para, somente então, buscarmos sua cura. Felizmente, a partir do surgimento de um movimento científico chamado Psicologia Positiva, esse panorama tem se modificado e hoje temos muito a fazer no sentido de nos tornarmos mais resilientes em relação ao Burnout e a tantas outras doenças antes que se instalem. Hoje, finalmente, podemos falar em uma Psicologia Preventiva. Mas, como exatamente podemos fazer isso é uma coisa que só vou contar no dia 30/5, na palestra que ministrarei no SindMédico!

Faça sua inscrição para a palestra no link: http://seminario.sindmedico.com.br/ 

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS