Vice-presidente do SindMédico-DF, Carlos Fernando, critica a forma que a Secretaria de Saúde do DF pretende mudar a Atenção Primária à Saúde.

Ressaltou que o trabalho dos especialistas em medicina de família e comunidade, ginecologia, pediatria e clínica médica está sendo desvalorizado e que treinamento com carga horária mínima não qualifica o profissional para o trabalho.