Centro de Saúde n° 1 de Samambaia pede socorro

O pedido de socorro veio do Centro de Saúde n° 1 de Samambaia. “Trata-se de um centro de saúde velho, sucateado, sem condições de trabalho e atendimento decente aos pacientes”, denunciou a servidora. Segundo ela, no local, há apenas um banheiro para mais de 100 funcionários. A situação teria se tornado ainda pior durante a paralisação dos vigilantes, na semana passada. “Além de não fecharmos as portas para os pacientes agendados, estamos recebendo todos os pacientes de urgência que não conseguem atendimento em outras unidades”.

Diante do cenário exposto, que inclui ainda insalubridade, falta de material básico e até goteiras nos consultórios, o presidente em exercício do SindMédico-DF, o vice-presidente, Carlos Fernando, foi atrás de respostas e se reuniu com a superintendente da região Sudoeste de Saúde (Samambaia, Taguatinga, Recanto das Emas, Vicente Pires e Águas Claras), Lucilene Florêncio, na tarde da última terça-feira (17), no Hospital Regional de Taguatinga (HRT).

“A nossa ideia é saber o que está acontecendo no centro de saúde. Se está tendo diálogo da direção com os servidores, porque, pela situação relatada, realmente não tem condições dos médicos exercerem suas funções”, afirmou Carlos Fernando.

A superintendente da região, no entanto, explicou que, justamente por ser antigo, o Centro de Saúde n° 1 de Samambaia está passando por reformas: troca de azulejos, fiação, pintura e etc. Lucilene disse ainda que, de fato, o local tem uma superlotação de servidores, já que possui hoje 11 equipes de estratégia de saúde da família.

“Mas, essas equipes serão realocadas assim que a Unidade Básica de Saúde da quadra 210 de Samambaia estiver pronto. A previsão é de que a inauguração ocorra em maio deste ano. Era para ter sido em dezembro, mas houve um atraso na obra”, destacou a superintendente da região Sudoeste.

Ainda na conversa, Carlos Fernando disse que espera uma atitude da superintendência da região em relação às denúncias feitas. “Queremos saber o que vai ser feito para mudar essa situação. Vamos lutar para que isso aconteça e, se for preciso, vamos pedir, sim, a intendição do centro de saúde”, enfatizou.

A superintendente da região, então, se comprometeu a visitar o Centro de Saúde n° 1 de Samambaia já na próxima segunda-feira (23). Ela afirmou que vai ouvir os colegas e saber o que, de fato, pode ser feito agora. “É um pedido de socorro e não vamos deixar de ouvi-los”, disse Lucilene.

“É importante que a Secretaria de Saúde esteja ciente do que está acontecendo. Por isso, nosso esforço em vir conversar e saber o que pode ser feito no momento. O apelo, neste caso, é de um médico. Mas, sabemos que toda a rede está sucateada, sem oferecer condições para o trabalho dos médicos. Por isso, vamos sempre cobrar melhorias”, afirmou Carlos Fernando.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

centro-de-sade-n-1-de-samambaia-pede-socorro-sindmdico-sindicato-dos-mdicos-do-distrito-federal