Artigo: A Covid-19 e o pico da curva

“Falhas têm ocorrido nos três níveis e precisam ser corrigidas imediatamente, pois o temido pico da curva se avizinha a cada dia. Com a redução das medidas de isolamento social e com o começo da estação seca, não há margem para erros”. A afirmação é do presidente do SindMédico-DF, Gutemberg Fialho. Em artigo semanal para o jornal Brasília Capital, ele fala sobre o pico dos casos de covid-19 no Distrito Federal e da situação nas unidades públicas.

Em sua análise, Gutemberg Fialho destaca ainda, na rede pública, a testagem para a covid-19 é insuficiente, tanto dos profissionais quanto dos pacientes. Há, segundo ele, “falta de materiais e equipamentos de limpeza”. E até a separação dos casos suspeitos de contaminação é feita tardiamente.

“Os fatores determinantes da evolução dos casos apontados pelos pesquisadores e autoridades sanitárias são o nível de isolamento social, a adoção de medidas de higiene e a capacidade de testagem”, aponta Gutemberg Fialho logo no início do artigo.

Ainda de acordo com o presidente do SindMédico-DF, que esteve na UPA de Ceilândia na semana passada para averiguar denúncias sobre a falta de EPIs e outro equipamentos, “quem chega para um parto ou cirurgia de emergência no Hospital de Ceilândia não é atendido como provável portador de covid-19, muito menos quem chega para uma consulta e não apresenta sintomas. “Porém, qualquer um pode ser portador assintomático do vírus”, salienta.

Leia o artigo completo e acompanhe ainda este e outros artigos do presidente do SindMédico-DF para o jornal Brasília Capital. A publicação é semanal e está também disponível no Facebook do sindicato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

a-covid-19-se-espalha-no-df-como-mudar-este-cenrio